A liderança não é uma exclusividade de pessoas que já nasceram com determinado perfil ou dom. É possível desenvolver competências, tornando os gestores aptos a guiar pessoas e organizações em direção ao sucesso.

Na Weego, temos um modelo de competências que ajuda as empresas a nortear o desenvolvimento de seus líderes, olhando para tudo aquilo que é essencial para gerar resultados perenes. 

Propomos uma jornada em que os profissionais são convidados a identificar suas forças e fraquezas, recebendo soluções de aprendizagem personalizadas para suas necessidades.

Cada um deles conseguirá evoluir de forma específica, eliminando as lacunas de competências e sendo mais efetivos em suas atividades. Conheça as 12 competências de liderança essenciais que fazem parte desse modelo!

O que são competências de liderança?

Liderar é uma competência complexa. Na prática, ela funciona como um sistema, formado por diversas outras competências que precisam trabalhar em conjunto para influenciar e engajar os profissionais no dia a dia.

Atualmente existem vários modelos de competência. Muitas empresas, inclusive, optam por desenhar estruturas próprias alinhadas aos objetivos do negócio. 

O fato é que independentemente de ser algo próprio ou não, estes modelos servem como verdadeiras bússolas, uma vez que a partir deles, temos mais clareza sobre quais são os conhecimentos, habilidades e atitudes que devem ser desenvolvidos para formar um líder conforme o propósito e visão de quem concebeu a metodologia.

Como as competências de liderança mudam o destino das empresas?

Saber como desenvolver competências de liderança tem um grande impacto na sua empresa. A liderança é responsável por boa parte do sucesso da gestão de pessoas e das organizações, e os números confirmam isso.

Em seu relatório sobre a situação dos ambientes de trabalho ao redor do mundo, a Gallup estima que os gestores de equipes são responsáveis por 70% das variações de engajamento dos colaboradores. Além disso, o desengajamento causa 1,8 trilhão de dólares de prejuízo para a economia global.

A Michael Page revela os impactos da liderança na rotatividade de pessoal. Em levantamento recente, a consultoria aponta que 80% dos profissionais pedem demissão por causa da relação com o líder imediato.

Já em pesquisa com gestores de 195 países e 2,5 milhões de líderes de equipe, a Gallup identificou que 70% deles não estão devidamente qualificados. Esse problema causa um prejuízo global de 300 bilhões de dólares, segundo as estimativas do instituto.

Não por acaso, podemos dizer que a liderança é uma das competências que mais agrega valor para as empresas. Seu desenvolvimento deve estar na lista de prioridades dos gestores e das organizações.

Quais são as 12 competências de liderança essenciais?

A metodologia Weego desenvolve líderes capazes de lidar com diferentes contextos e desafios. 

Construir relacionamentos

O primeiro pilar da metodologia é a construção de relacionamentos. O líder deve ser capaz de influenciar as pessoas de maneira positiva e motivar os colaboradores a serem produtivos individualmente e como membros de uma equipe. As três competências essenciais associadas à ele são: 

1. Comunicar-se claramente

A comunicação efetiva do ponto de vista permite maior clareza, credibilidade, confiança e convencimento, sendo assim, é uma ferramenta fundamental de trabalho.

O profissional deve saber como modificar a linguagem de acordo com a situação para que ela tenha o impacto esperado para diferentes pessoas. Para isso, utiliza-se de comportamentos verbais e não verbais.

2. Despertar potenciais

O líder atual é responsável por mover as pessoas em direção ao desenvolvimento. É preciso saber escutar, dar feedbacks, incentivar a evolução dos profissionais, entre outras habilidades indispensáveis para o crescimento dos membros da equipe.

3. Promover a colaboração

A responsabilidade abrange a construção de vínculos de camaradagem e lealdade entre os colaboradores. Faz parte das competências de liderança fazer os grupos se ajudarem e motivar os indivíduos ao trabalho em conjunto, conciliando demandas individuais e coletivas.

Criar times de alta performance

As competências de liderança maximizam a contribuição das pessoas para as estratégias de negócios e objetivos organizacionais. Afinal, não basta ter boas relações se isso não leva as equipes a um desempenho satisfatório. Neste pilar, o conjunto de competências é esse: 

4. Criar uma cultura de desenvolvimento

Os colaboradores devem estar inseridos em um contexto de valorização e incentivo ao desenvolvimento de competências.

Cabe ao líder atuar para que o desenvolvimento deixe de ser um discurso e consolide-se como parte do modo de ser das equipes, departamentos e organizações.

5. Alinhar estratégia e ação

Também é papel da liderança traduzir a estratégia da empresa em metas, modelos de trabalho, tarefas, medidas, decisões, etc. Isto é, diante das várias ações possíveis no dia a dia, o líder deve saber implementar aquelas que impulsionam a equipe em direção aos objetivos organizacionais.

6. Compartilhar as responsabilidades

O líder define ainda os papéis de cada pessoa, dando autonomia com responsabilidade. Aliás, o accountability é parte importante das relações: ao mesmo tempo, em que responsabilizam os membros das equipes, os líderes são responsabilizados por suas ações e decisões.

Atingir resultados sustentáveis

Outro pilar da liderança é a conquista de resultados e a capacidade de manter as equipes produtivas mesmo diante de mudanças. Assim, o líder constrói vantagens competitivas sustentáveis para a organização. O conjunto de competências atrelado a este pilar é: 

7. Sair da zona de conforto

O ambiente de trabalho deve estar voltado para a melhoria contínua. Diante de mudanças e incertezas, o líder deve ser capaz de sair da zona de conforto, em vez de se prender a velhas práticas que podem já não ser válidas diante de um novo contexto. Além disso, a equipe deve ser influenciada a também adotar esse comportamento.

8. Orientar-se a resultados

Os líderes precisam dominar os instrumentos para orientar a si próprios e ao time em busca dos resultados. Definir os padrões de qualidade do trabalho, avaliar o desempenho, dar feedback, escolher prioridades são alguns desses mecanismos, que devem fazer parte das habilidades do gestor de equipe.

9. Tomar decisões assertivamente

O líder deve tomar decisões por meios confiáveis e legítimos, de modo que, ao final, se tenha segurança sobre as escolhas. Boa parte desse trabalho consiste em saber usar dados e indicadores, que vão esclarecer a situação com maior confiabilidade.

Liderar com humanidade

O último pilar é um diferencial da metodologia Weego e diz respeito ao tipo de liderança que pretendemos desenvolver: aquela capaz de criar excelentes ambientes de trabalho.

O líder deve influenciar positivamente as pessoas e o contexto em que elas estão inseridas, para assim alcançar resultados sustentáveis. Por isso, as competências atreladas à esse pilar são: 

10. Liderar pelo exemplo

O líder é um exemplo para as equipes. Seu comportamento funciona como um elemento externo da cultura organizacional, que afirma pressuposições básicas e valores.

Assim, ele deve ter uma postura compatível com o papel e responsabilidade assumidas, incentivando os colaboradores a se desenvolverem, saírem da zona de conforto, serem éticos no trabalho, etc.

11. Abraçar as diferenças

As pessoas são diferentes entre si, e o líder deve saber gerir nessa realidade. Além disso, a diversidade enriquece o capital humano com experiências e conhecimentos dos mais variados tipos, facilitando processos que dependem de criatividade e inovação.

12. Promover o equilíbrio de vida

As preocupações com performance e resultados precisam ser balanceadas com o bem-estar dos colaboradores. Até porque, a produtividade só será sustentável — com alto engajamento, baixo turnover e permanência de talentos — se os colaboradores também tiverem suas necessidades e saúde consideradas.

Para desenvolver esse modelo de competências, a Weego integra as melhores soluções de educação à análise de dados. Entre os diferenciais, a metodologia é apoiada pelas seguintes práticas:

  • diagnóstico e análises;
  • microlearning;
  • trilhas de desenvolvimento individuais e personalizadas;
  • conteúdos customizados para os desafios do gestor e da empresa;
  • atividades práticas e exercícios.

Sendo assim, os líderes terão jornadas de desenvolvimento adaptadas para suas reais necessidades de trabalho e para o momento da empresa. Logo, podem desenvolver as competências de liderança e serem mais efetivos à frente das equipes.

Que tal conhecer a nossa metodologia? Confira as soluções da Weego para transformar gestores em verdadeiros líderes na sua empresa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *