Ter uma Cultura de Inovação ajuda a empresa a superar os desafios e aproveitar as oportunidades, adaptando-se ao ambiente de negócios atual.

Lidar com cenários competitivos, mudanças constantes e evolução tecnológica, como nos ambientes de negócios atuais, não é uma tarefa fácil. Entretanto, um diferencial nesse processo é desenvolver uma Cultura de Inovação na empresa.

Com inovação, podemos:

  • resolver problemas;
  • remover barreiras e limitações de recursos;
  • construir vantagens e diferenciais competitivos.

Logo, é peça essencial para a empresa se destacar no mercado e alcançar o sucesso.

Neste conteúdo, explicamos que as lideranças carregam um papel fundamental na transformação cultural das organizações. São as pessoas à frente das equipes, que inspiram a inovação e motivam os integrantes do time a criarem outros jeitos de fazer as atividades. Acompanhe!

A importância da Cultura de Inovação nas empresas

Por estarem inseridas em um contexto maior que é a sociedade, a cultura organizacional sofre com influências de fora para dentro.

Nesse sentido, o modo de ser da empresa pode estar em sintonia com o momento ou colidir com os requisitos do ambiente. No segundo caso, a tendência é o negócio perder força.

Imagine, por exemplo, uma empresa que ainda adota processos manuais e registros em papel, sem qualquer informatização. Mesmo convictos da sua cultura, há o risco dessa organização não ser competitiva, não é mesmo?

Por isso, se identificamos um mundo com maior complexidade, volatilidade, incerteza e ambiguidade, uma cultura voltada a manter as coisas como são (conservantista) provavelmente não sobreviverá à seleção natural, tampouco favorecerá o crescimento da empresa.

Os estímulos oferecidos pelo ambiente mudam, e a organização precisa ter respostas às transformações rápidas e contínuas.

Recentemente, por exemplo, a preocupação era como automatizar tarefas e escolher boas soluções para virtualizar os processos. Hoje, talvez a organização já esteja pensando no que fazer com a inteligência artificial ou quem sabe abrindo um empreendimento no metaverso.

A Cultura de Inovação é o modo de ser da empresa que constantemente produz, experimenta e implementa coisas novas para estar em sintonia com as condições do ambiente, lidando com suas ameaças e aproveitando oportunidades.

A relação entre inovação e liderança

Líderes inovadores são indispensáveis para consolidar essa prática como cultura. A velocidade de inovação da empresa pode ser impulsionada ou reduzida conforme o comportamento que as lideranças apresentam no dia a dia.

As lideranças não apenas colocam novas soluções à disposição da organização, mas sabe estimular a equipe a fazer isso. Portanto, sua presença no ambiente de trabalho representa maior velocidade de inovação na empresa.

Boa parte da atuação diz respeito a criar um ambiente de trabalho em que as pessoas estejam confortáveis para apresentar e experimentar novas ideias. Nem tudo aquilo que é criativo ou novo terá o resultado esperado, gerando efetivamente a inovação.

Por isso, é natural que lideranças e integrantes das equipes se sintam vulneráveis diante de mudanças. Porém, o processo de desenvolvimento pode preparar quem está à frente do time a entender o erro como parte do processo.

Também é possível adotar métodos de trabalho que possibilitem a implantação de novas ideias com baixo custo. Criar um protótipo e aplicar a mudança no setor de testes são alguns exemplos.

Em síntese, a maneira como a liderança aborda a inovação no dia a dia será como a empresa aborda o tema. Portanto, o primeiro passo para atualizar a cultura é desenvolver pessoas capazes de conduzir equipes às mudanças desejadas.

Boas lideranças constroem empresas inovadoras. Além disso, o processo de influência é recíproco, porque o ambiente voltado à inovação se torna um catalisador para surgirem novos lideres inovadores.

Os benefícios da Cultura de Inovação

Os benefícios da Cultura de Inovação são mensuráveis por meio do Índice de Velocidade de Inovação (Innovation Velocity Ratio — IVR). Esse indicador foi criado pelo Great Place to Work® e indica se os movimentos de inovação na empresa encontram atrito e são lentos, ou se rapidamente a organização consegue se mobilizar para fazer coisas novas.

Organizações com o IVR elevado, segundo dados do GPTW, apresentam resultados incríveis:

  • 14% menos risco de rotatividade;
  • 32% de melhoria na produtividade;
  • 33% mais adaptabilidade.

Além disso, empresas inclusivas para inovação apresentam 5,5 vezes mais crescimento de receita anual que aquelas com pior desempenho nesse quesito. O que se refletirá em relação à lucratividade.

Um exemplo de inovação são as instituições que aderem à cultura data-driven. Com essa estratégia, aplicável em qualquer negócio, é possível tomar decisões baseadas em análises e interpretação de dados, dando os próximos passos com mais precisão.

Ainda, podemos mencionar a importância da inovação para construir vantagens competitivas.

Ao responder às mudanças do mercado com ações inovadoras, o negócio encontra condições favoráveis de modo a se desenvolver. Além disso, deixamos as empresas que não se adaptam para trás, ganhando mais espaço no segmento de mercado.

O desenvolvimento da liderança inovadora

Para contar com esses benefícios, precisamos desenvolver lideranças capacitadas em reconhecer e lidar com as vulnerabilidades próprias e dos integrantes das equipes.

Além disso, devem entender quais fatores contribuem de modo a acelerar a inovação na empresa. Confira as boas práticas!

Ter visão estratégica

A liderança precisa compreender seu papel e impacto no resultado dos negócios. Além disso, é responsável por alinhar as atividades aos objetivos da empresa, definindo metas adequadas aos propósitos da organização.

Aprimorar habilidades

Um segundo quesito significativo é desenvolver habilidades, como:

  • empatia;
  • comunicação;
  • trabalho em equipe;
  • inteligência emocional.

A posição da liderança nos processos é de facilitadora do trabalho da equipe ao:

  • alinhar os trabalhos;
  • conceder feedbacks;
  • compartilhar informações;
  • realizar outras ações que dependem de soft skills.

Incentivar a diversidade e inclusão

A liderança precisa promover um ambiente de trabalho aberto e plural, em que as pessoas possam ter diferenças e atuar em harmonia.

Com diversidade de ideias, valores e experiências, o processo criativo tem mais opções em cima da mesa e podemos olhar as questões por diferentes ângulos. Logo, temos um material rico com que trabalhar.

Tomar decisões com base em dados

As decisões com base em dados permitem que o gestor ou a gestora transmita confiança à equipe.

Em muitas situações, essas informações são coletadas para acompanhar os resultados das medidas sugeridas, levantar padrões e tendências úteis ao negócio. Portanto, é uma capacidade essencial de modo a facilitar a inovação.

Aprender continuamente

A liderança precisa reconhecer que pode sempre melhorar suas competências e precisa se atualizar sobre tendências de mercado. Assim, consegue-se trazer coisas novas à empresa, entender melhor o contexto da organização e estar em dia sobre as soluções propostas pelas pessoas que trabalham na empresa.

O processo de desenvolvimento é significativo de modo a identificar as necessidades e entregar soluções de capacitação. No método Weego, por exemplo, partimos da análise de dados de modo a acompanhar as lideranças no dia a dia, desenvolvendo uma jornada de aprendizado personalizada para cada profissional.

Com isso, a liderança está em constante evolução, com conteúdos teóricos e práticos direcionados aos desafios enfrentados na empresa. E, como a Cultura de Inovação é uma das prioridades atualmente, é um dos tópicos que será trabalhado ao longo da jornada criada para as lideranças.

Conheça agora mesmo o método Weego e conte com pessoas preparadas para serem lideranças inovadoras!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.