As escolhas realizadas pelas lideranças impactam nos resultados da organização, especialmente em sua lucratividade. Portanto, preparar as pessoas para tomarem decisões assertivas é uma das principais tarefas de capacitação e desenvolvimento.

Visando isso, precisamos entender quais características fazem parte de um bom processo de tomada de decisão. Assim, podemos comparar as características ideais com o que é realizado na organização, identificando as necessidades de desenvolvimento e buscando maneiras de satisfazê-las.

Neste conteúdo, explicamos como preparar lideranças para fazer escolhas mais adequadas e otimizar os resultados. Continue a leitura e conheça as boas práticas!

Qual é a importância de preparar as lideranças para tomar boas decisões?

Os bons resultados passam por tomada de decisões assertivas. Entre as funções desafiadoras mais importantes da gestão estão:

  • entender situações;
  • avaliar os prós e contras;
  • levantar as opções disponíveis;
  • optar pelo melhor caminho.

São essas escolhas que permitem à empresa realizar bons trade-offs, ganhando mais do que perdendo valor. Ou seja, em diversos momentos, encontramos diferentes opções com ganhos e perdas, precisando dar preferência àquela que gera mais valor entre as vias disponíveis.

Alguns exemplos de conflitos de escolha no ambiente empresarial estão:

  • selecionar os fornecedores da empresa;
  • definir quais tarefas devem ser priorizadas;
  • permitir que a equipe trabalhe em home office ou não;
  • escolher entre candidatos em processos seletivos.

A maneira como os trade-offs são solucionados impacta os resultados da empresa: custos, receitas e lucratividade.

As decisões também determinam a capacidade da organização estar alinhada ao momento do mercado. Isso porque a solução oferecida no passado pode não ser mais válida no presente, e alguém precisa decidir quando mudar.

Um exemplo é a própria gestão do capital humano, em que, atualmente, opções ligadas ao bem-estar das pessoas, saúde no trabalho, reconhecimento do colaborador são mais valorizadas que antes.

Igualmente, a solução dos trade-offs precisam estar alinhadas nos diferentes níveis da empresa. Se, entre as opções disponíveis, o planejamento organizacional vai na direção “X”, as demais lideranças precisam tomar decisões coerentes com esse rumo. Do contrário, os objetivos da organização tendem a não ser alcançados.

Enfim, tomar decisões é uma competência indispensável, em qualquer posição de liderança.

Como tomar decisões mais acertadas?

Melhorar a tomada de decisões parte de mudanças no processo como as escolhas são realizadas. Sempre há riscos de o caminho não ser o que melhor otimiza o valor agregado, mas ter um bom método disponível aumenta as probabilidades de êxito.

Veja algumas dicas de como realizar o melhor processo na sua empresa!

Embase as decisões em dados

Hoje, a confiabilidade das decisões está ligada principalmente ao embasamento em dados. Passamos a entender os cenários e as opções disponíveis com mais clareza, quando estamos fundamentados em:

  • pesquisas;
  • estatísticas;
  • indicadores de desempenho.

Acompanhe os indicadores-chave

Nas empresas, as métricas ajudam a entender questões, como desempenho, qualidade e eficiência. Portanto, permitem que o foco da liderança esteja nas questões mais importantes ao tomar decisões. Além disso, facilitam o entendimento do que pode ser considerado valor no contexto da escolha.

Desenvolva uma visão estratégica

As decisões acertadas são fruto de lideranças que entendem a estratégia da empresa e a aplicam em seus contextos.

Essa capacidade de enxergar o negócio como um todo ajuda a manter todos os níveis alinhados, sendo indispensável para empresa realizar seus planos.

Melhore a comunicação interna

Dependemos de uma boa comunicação interna para tomar decisões assertivas. Em geral, as lideranças usam de relatórios, reuniões e andamentos de equipe, que esclarecerão a situação.

Se esse fluxo de informações não for bem realizado, ou a liderança não souber ouvir, será mais difícil fazer as escolhas certas.

Projete os possíveis cenários

Para encontrar o caminho que gerará mais valor entre opções, vale a pena avaliar diferentes cenários e as consequências de cada decisão tomada.

Aliás, a análise de dados abrange não só as descritivas e diagnósticas, mas as prescritivas e preditivas, como já mencionamos no conteúdo sobre People Analytics.

Utilize ferramentas de gestão

Os estudos de administração constantemente trazem novas ferramentas de gestão. Alguns exemplos das diversas práticas que ajudam as lideranças são:

  • análise Swot;
  • princípio de pareto;
  • balanced scorecard;
  • matriz de ganhos e perdas.

Desenvolva as habilidades comportamentais

Um último ponto é que as soft skills influenciam a tomada de decisões. Em uma rápida lista, podemos citar:

  • criatividade;
  • escuta ativa;
  • comunicação;
  • raciocínio lógico;
  • inteligência emocional;
  • resolução de conflitos.

O ponto de partida para ajudar as lideranças na tomada de decisões é o desenvolvimento de pessoas.

Assim, saber se orientar por dados, passando por uma visão estratégica e adotando boas ferramentas, até as soft skills, estamos lidando com conhecimentos e habilidades que podem fazer parte de capacitações.

Como desenvolver as habilidades de tomada de decisão?

Ao comparar as características apontadas no tópico anterior, com a forma como as pessoas decidem na sua empresa, é possível encontrar alguns pontos de melhoria.

Essas necessidades de desenvolvimento podem ser supridas por capacitações e reforço contínuo do aprendizado. Com isso, os novos comportamentos serão, pouco a pouco, incorporados ao repertório das pessoas em função de liderança.

Aqui na Weego, ajudamos as empresas em todas as etapas desse processo de desenvolvimento:

  • diagnóstico: identificando as lacunas de competência de cada liderança, utilizando-se da análise de dados;
  • planejamento: criando trilhas de aprendizado personalizadas para as necessidades de cada pessoa;
  • plataforma além do LMS tradicional: centralizando a experiência de aprendizado em uma plataforma de gestão do aprendizado, em que as lideranças recebem conteúdos e ações;
  • acompanhamento: usando a People Analytics para acompanhar a evolução das lideranças, entendendo o impacto do aprendizado.

Além disso, o método Weego tem inúmeros diferenciais para ajudar sua empresa:

  • desenvolvimento individual e personalizado;
  • avaliações de desempenho e análises contínuas;
  • uso da aprendizagem ativa, aliando teoria e prática;
  • aplicação do microlearning, fugindo dos treinamentos tradicionais;
  • modelo de competências claro, tendo como base as práticas das melhores organizações.

O desenvolvimento é amplo, abrangendo todas as competências necessárias para formar grandes lideranças. Alguns tópicos abordados nas trilhas personalizadas são:

  • engajamento;
  • feedbacks
  • bem-estar no trabalho;
  • formação de times de alta performance.

E, entre os mais importantes, está a preparação para tomar decisões assertivas, que é indispensável para exercer uma boa liderança.

Conheça o método Weego e forme grandes líderes na sua empresa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.