A descentralização empresarial é uma estratégia que pode trazer benefícios para o negócio. Entretanto, para dar certo, é preciso que a gestão desenvolva líderes de extrema confiança e capacidade na tomada de decisões.

Geralmente os C-level e donos do negócio são responsáveis pelas decisões de alto impacto, pois um erro pode causar danos irremediáveis. Logo, dar autonomia aos líderes para garantir eficiência nos resultados requer investimento em determinadas competências e habilidades.

O objetivo deste post é trazer o conceito e funcionamento da descentralização empresarial, bem como as vantagens dessa prática. Continue lendo e veja como preparar os líderes para assumir um papel ainda mais relevante dentro da organização!

O que é a descentralização empresarial?

Em muitas organizações, as decisões mais críticas, que envolvem o negócio como um todo, ficam a cargo dos gestores. Quase sempre formada por CEOs, executivos e donos, a gestão dedica muito tempo à análise de particularidades.

Assim, a descentralização empresarial é uma forma de gestão que transfere a autonomia no processo de decisão para os times da empresa. Da identificação de problemas à busca de soluções, os profissionais têm maior liberdade para seguir uma direção.

Embora essa seja uma prática que pode ser estendida a todos que atuam na empresa, aqui, vamos focar na autonomia da liderança. O desenvolvimento de líderes acostumados a conduzir projetos, pessoas e processos, tende a ser mais fácil e rápido.

Com a descentralização, os gestores de ponta ficam mais livres para se dedicar ao core business e buscar oportunidades de negócio. Enquanto isso, os líderes se empenham para manter as operações funcionando de forma correta, dando todo o suporte aos objetivos da empresa.

Para alcançar esse nível de precisão, é fundamental capacitar os profissionais líderes, de modo que a transferência de poder da decisão ocorra naturalmente. Dessa forma, contar com lideranças eficientes e preparadas traz benefícios gerais em médio prazo.

Quais são as vantagens da descentralização da tomada de decisão?

Em uma gestão descentralizada, não é necessário que todos os passos das equipes sejam informados à gestão. Os próprios líderes são capazes de assumir o gerenciamento, afinal, são eles que estão diretamente ligados às pessoas e processos.

Na prática, esse é um modelo de gestão que traz muitos benefícios para a empresa como um todo. Veja os mais evidentes!

Tomada de decisões em menor tempo

Um líder com autonomia não precisa esperar os gestores para analisar uma situação, tampouco para decidir qual o melhor caminho. Isso se torna um benefício por ser comum ter uma gestão ausente, seja por motivo de viagem, seja das várias reuniões estratégicas.

Assim, o tempo muito longo de espera para tomar decisões pode acarretar perdas para o negócio. Vamos imaginar, por exemplo, que haja a produção de uma grande quantidade de itens em andamento e que o cliente solicite um prazo diferenciado para o pagamento.

Um líder bem-preparado, que conhece todas as etapas do processo produtivo, saberá correlacionar custos, despesas, receitas e lucro. Com isso, o conhecimento profundo, o pensamento estratégico e a visão global do negócio potencializam todo o embasamento para tomar a decisão de autorizar ou não uma nova forma de pagamento.

Agilidade nos processos

Os tomadores de decisão serão aqueles que têm as informações diretas, ou seja, viram o desenrolar do processo. Eles entendem cada etapa, sabem das complexidades e detalhes que os gestores não conseguem enxergar de longe.

Desse modo, a vantagem de ser também um executor deixa o profissional designado em uma posição mais confortável, comparado aos C-level e donos. Conhecendo o desempenho da equipe, ele não terá dificuldades de delegar funções, agilizar uma entrega ou se comprometer com um prazo, por exemplo.

Vale ressaltar que o ambiente corporativo de uma organização com gestão descentralizada é mais dinâmico e produtivo. A equipe sabe que pode ir direto no líder e que ele terá respostas imediatas — muitos líderes podem, inclusive, estimular a participação do time nas decisões.

Desburocratização dos processos

Nada pior para a operação do que ter que lidar com excesso de burocracias que, muitas vezes, podem ser evitadas. Nesse sentido, o tomador de decisões sabe o que pode e o que não pode fazer, levando em conta a lei, as regras e normas que envolvem as atividades da empresa.

Mais uma vez, conhecer bem a empresa e o negócio ajuda a desburocratizar processos e melhorar o fluxo de trabalho. Os gestores, por sua vez, precisam seguir protocolos, já que conhecem mais do planejamento e menos da operação.

Incentivo ao desenvolvimento estratégico e profissional da liderança

A permanência dos talentos em uma empresa pode estar vinculada às oportunidades de crescer na carreira. Dessa forma, o desenvolvimento e a capacitação para assumir responsabilidades e ser um tomador de decisões são incentivos que muitos profissionais esperam da empresa.

Um líder capaz de gerenciar pessoas, dar fluidez aos processos e tomar decisões acertadas se torna valioso para o mercado. A empresa que investe no desenvolvimento de líderes para tomar decisões terá, por muito tempo, profissionais sempre atentos e comprometidos com os direcionamentos do negócio.

Como preparar líderes para a tomada de decisões de alto impacto?

Depois de entender sobre a descentralização empresarial, como ela funciona e o que a torna interessante para a empresa, é a hora de preparar a equipe. Para isso, é preciso querer transformar os gestores e gestoras de área em grandes líderes com habilidades estratégicas de negócio. Mas o que isso quer dizer?

Sabe-se, por exemplo, que todo líder deve conhecer bem a equipe, entender sobre o uso de dados para análise de indicadores e ter capacidade de conduzir cada etapa da operação.

No entanto, um tomador de decisões vai além, buscando em seu perfil profissional elementos que o ajudem a ter uma percepção mais aguçada. Isso só é possível quando cada profissional consegue refletir sobre as habilidades e competências que precisam ser melhoradas.

A Weego tem a solução para essa questão, com uma biblioteca de ações em seu aplicativo, visando ajudar líderes na tomada de decisões. Assim, enquanto profissionais descobrem a aptidão para fazer escolhas de forma autônoma, a descentralização empresarial acontece de modo progressivo e seguro.

Se você gostou do post e deseja que sua empresa prepare a liderança para assumir a tomada de decisões, conheça nossas soluções Weego pelo site e entenda como usá-las na promoção de desenvolvimento gradativo e efetivo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.